Discipulado A Jornada De Crescimento

Por que a fita?

Mateus 16:18-19

“… e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino dos céus; o que você ligar na terra terá sido ligado nos céus, e o que você desligar na terra terá sido desligado nos céus.” NVI-PT

Há alguns anos, comprei uma porta para a frente da minha casa. Era uma porta de design ornamentado com vidro fosco de corte chanfrado. Eu trouxe para casa e na manhã seguinte peguei minhas ferramentas e comecei a montá-la. Eu tive que montar a porta e depois montar e instalar a moldura em que se encaixaria. Isso me levou quase a manhã inteira. A última peça a ser colocada foi o grande pedaço de vidro que constituía dois terços da porta. Eu estava me preparando para colocar o vidro na moldura quando notei que as tiras longas e finas que seguravam o vidro no lugar estavam faltando.

Já que eu já tinha removido a velha porta e sua moldura, havia apenas uma coisa que eu poderia fazer.  Peguei uma fita adesiva, uma fita cinza conhecida por sua versatilidade e colei o vidro na porta. É claro que voltei para a loja onde comprei a porta e contei o que havia acontecido. Eles pediram desculpas pelo inconveniente e, sem qualquer custo para mim, prontamente encomendaram a parte que estava faltando. Então eu perguntei quando chegaria e eles me disseram que levaria de 2 a 3 semanas. É claro que fiquei muito desapontado que demoraria tanto.

Fui para casa e caminhei até a minha nova e bela porta com seu vidro fosco de corte chanfrado havia uma fita cinza mostrando-se grande e ousada.

Agora, nas próximas 2 a 3 semanas, as pessoas que aparecerem diriam a mesma coisa: “Essa é uma porta linda, por que a fita”?  Eu começaria a contar a história da peça que faltava. 

Quantas vezes isso poderia ser dito sobre a igreja. É uma igreja linda, mas falta uma peça. Está faltando discipulado. No entanto, o discipulado não é apenas uma peça, é a peça principal. É a peça que mantém todos os outros aspectos da Igreja juntos. A Igreja está incompleta sem um processo contínuo de discipulado. Minha porta ainda funcionava e funcionava bem, mas estava incompleta sem a peça para segurar o vidro na moldura da porta. A fita foi apenas uma substituição até que a parte real chegasse. A fita funcionou temporariamente, mas todos que viram a porta sabiam que não era para parecer assim.

Muitas igrejas ao longo da história não tiveram esta peça, apesar de ainda funcionarem como igreja e, às vezes, terem se saído bem. Eles pegaram a fita religiosa e colocaram onde a peça deveria estar e continuaram com a igreja. No entanto, ainda está incompleta porque não tem essa peça principal para manter a igreja em seu devido lugar.  O discipulado não é apenas uma peça que você pode escolher ou não ter. Não há substituições. É a peça principal de todo o cristianismo. Foi assim que Jesus começou. Foi o seu principal ingrediente para garantir que o trabalho continuasse do jeito que Ele queria que continuasse. Suas últimas palavras de instrução antes de deixar esta terra foram seguir e fazer discípulos ou seguir e fazer o mesmo. Lembre-se que Ele disse: “Eu edificarei a Minha Igreja e te darei as chaves do Meu Reino.” Ele sabe como fazer isso e começou com o treinamento dos outros. O processo não mudou porque Ele não mudou.  Precisamos ter todas as peças para que a igreja funcione adequadamente e continuar Seu trabalho da maneira como Ele está construindo.

Em geral, a igreja apresentou várias versões do discipulado que foram testadas ao longo da história, mas geralmente são insuficientes. É apenas outra versão da fita adesiva.  Eles ensinaram apenas as partes da Bíblia que consideravam importantes. Isso permitiu, até certo ponto, que as pessoas crescessem na fé cristã, mas também manteve as pessoas presas a uma visão doutrinária particular ou as manteve dentro das quatro paredes confortáveis em um banco de igreja. No entanto, Cristo nunca alcançou homens e mulheres para esse propósito. Ele os alcançou para seguirem e serem frutíferos, para reproduzir homens e mulheres que farão o mesmo.

Então, por que essa peça é tão importante? Por que todos nós devemos estar envolvidos no discipulado?  Você pode até perguntar: “O que é discipulado?” As escrituras revelam essas respostas e nos dão um bom entendimento dessas questões.   Então, o que as escrituras revelam?

Mateus 4:17-22

 Daí em diante Jesus começou a pregar: “Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo.” 18 Andando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores. 19 E disse Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens.”  20 No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram. 21 Indo adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão. Eles estavam num barco com seu pai, Zebedeu, preparando as suas redes. Jesus os chamou, 22 e eles, deixando imediatamente seu pai e o barco, o seguiram.

Marcos 1:14-20

 Jesus foi para a Galiléia, proclamando as boas novas de Deus. 15 “O tempo é chegado”, dizia ele. “O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas!”  16 Andando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu Simão e seu irmão André lançando redes ao mar, pois eram pescadores. 17 E disse Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens.” 18 No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram. 19 Indo um pouco mais adiante, viu num barco Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, preparando as suas redes. 20 Logo os chamou, e eles o seguiram, deixando seu pai, Zebedeu, com os empregados no barco.  NVI-PT

Lucas 5:10-11

Jesus disse a Simão: “Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens.”  11 Eles então arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o seguiram.

Jesus sabia que para cumprir o trabalho do Pai, que foi dado a Ele, requereria três ingredientes principais.

●    A pregação do reino 

●    O treinamento de outros para fazer o trabalho.

●    Este processo ser repetido continuamente.

 

O Mestre sabia que este era o caminho para ver o Reino de Deus vir a esta terra. Essa foi a melhor maneira de realizar a missão que Seu Pai Lhe deu. Não foi apenas uma boa idéia, foi o que o Pai estava instruindo-o a fazer.

João 4:34, 8:24, 26, 28-29, 42, 10:37-38, 12:49-50, 14:31

 Disse Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.

Eu estou dizendo a você o que eu vi na presença do Pai,

Pois aquele que me enviou merece confiança, e digo ao mundo aquilo que dele ouvi.”

E que nada faço de mim mesmo, mas falo exatamente o que o Pai me ensinou. 29 Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou sozinho, pois sempre faço o que lhe agrada.”

 pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por mim mesmo, mas ele me enviou.

 Se eu não realizo as obras do meu Pai, não creiam em mim. 38 Mas se as realizo, mesmo que não creiam em mim, creiam nas obras, para que possam saber e entender que o Pai está em mim, e eu no Pai.”

Pois não falei por mim mesmo, mas o Pai que me enviou me ordenou o que dizer e o que falar. 50 Sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu digo é exatamente o que o Pai me mandou dizer.”

 Todavia é preciso que o mundo saiba que eu amo o Pai e que faço o que meu Pai me ordenou.

Tudo o que Jesus faria, tudo o que Ele fez e tudo o que Ele ainda faz vem de Deus. Não foi algo que Jesus inventou um dia, em vez disso, foi o plano mestre de Deus.  Jesus estava apenas realizando o plano de ação de Seu Pai. Portanto, desde o princípio, o discipulado não foi apenas uma boa idéia, mas foi idéia de Deus. 

Através dos anos da história da igreja, o homem tem continuamente tentado mudar a maneira como Deus faz as coisas. Ele acha que tem uma ideia melhor de como isso deve ser feito. Às vezes, irá funcionar por uma ou duas temporadas, mas, no final das contas, falha porque não tinha as peças certas para continuar como Deus planejou. Ao longo da história encontramos a humanidade voltando e estudando as escrituras para fazer do jeito certo. O homem tem historicamente pensado que ele tem uma maneira melhor, um caminho mais produtivo, apenas para descobrir que o caminho de Deus funciona melhor.

Desde o início do ministério de Jesus, você pode ver que Ele estava fazendo o caminho de Deus. É por isso que Ele proclamou as Boas Novas do Reino. Ele escolheu homens para treinar e os enviou para fazer exatamente da mesma maneira.  Foi assim que ele começou o seu ministério. Este foi o padrão do próprio Mestre. Se estas eram as três primeiras prioridades de Jesus, quanto mais devemos tomar nota e torná-las nossa prioridade também. Essas três verdades que Jesus conhecia eram necessárias para cumprir a missão que Seu Pai Lhe deu. Para fazer a vontade de Deus, estas foram Suas pedras fundamentais, “A Mensagem”, e “O Treinamento dos Homens” e o “Envio de Homens”.

Através dos séculos a mensagem do Reino permaneceu, em sua maior parte, conosco. Muitos, porém, diminuíram o peso dessa mensagem e a reduziram a se salvar e reservar um lugar no céu. Após uma análise mais detalhada do padrão do Mestre, a segunda prioridade, que era o treinamento dos homens, foi iniciada logo no início de Seu ministério. Ainda hoje, o discipulado não é comumente praticado ou promovido e raramente é enfatizado.

Definitivamente não é enfatizado como o Mestre acreditava que precisava ser. Nós ouvimos igrejas e ministros falarem sobre discipulado e dizerem que acreditam nesse processo. No entanto, muitos não estão realmente gastando tempo para reunir homens e mulheres para sair e fazer o trabalho da maneira que Jesus fez. 

Nós ouvimos muitos criticando a próxima geração de como eles parecem apáticos ou calejados. As vezes, nós nos perguntamos por que a igreja está no estado que está. Fazemos perguntas como: “Onde estão os líderes?” ou “Onde estão os fiéis verdadeiros e profundos?”.  A verdade é que deixamos de fora o ingrediente principal que é a captação de discípulos. Não é algo que poderia ser omitido da missão. A formação de homens e mulheres para levar adiante a construção do Reino e a promoção da Igreja não é algo que poderia ser deixado de fora.

Hoje em dia, muito discipulado, se acontecer, geralmente envolve indivíduos que são treinados para áreas selecionadas do ministério ou treinados para manter um ministro ou ministério em particular na vanguarda. Algum treinamento é apenas para manter certos aspectos de uma Igreja funcionando corretamente. Embora isso não seja intrinsecamente errado, simplesmente não é toda a verdade do discipulado. Discipulado é pra ensinar e treinar homens e mulheres para serem liberados no campo da colheita para produzir frutos para o Seu Reino. 

Não compreender o termo discipulado ou ver os outros falharem nisso fez com que muitos sentissem que não precisam desse plano. A verdade, porém, ainda permanece, esta foi a idéia de Deus e deve ser seguida pela maneira que Ele pretendia. Um discípulo significa simplesmente um seguidor, aderente a um determinado professor, estudante ou aprendiz de uma pessoa ou assunto.

 Na Bíblia, João Batista tinha discípulos, o apóstolo Paulo tinha discípulos, e quase todos os profetas e rabinos da Bíblia deste período de tempo tinham discípulos. Um discípulo se ligaria a um professor, como estudante, para aprender e se tornar como eles. Isto é o que foi implementado por Jesus Cristo, e ainda é uma verdade válida a ser seguida.

As verdades bíblicas devem ser abordadas da maneira correta. Nós não podemos implementar meias verdades. Primeiro, para ter sucesso em fazer os negócios de Deus, devemos ensinar toda a verdade ou todo o plano. Precisamos aprendê-los para nós mesmos a partir do Mestre, tornando-nos Seus discípulos. Segundo, estude as escrituras para saber como promover adequadamente a mensagem de Seu reino.  Terceiro, e igualmente importante, precisamos treinar os outros para fazer o mesmo.  

Jesus reuniu homens nos primeiros estágios de Seu ministério. Eles eram Seus discípulos, seguidores Dele. Esses discípulos foram mais tarde chamados de “cristãos”, significando “seguidores de Cristo”. Ele os treinou e deu a eles tudo o que precisavam para desenvolver o Seu Reino para o próximo nível.  Jesus queria que eles o sucedessem na extensão do Reino de Seu Pai. No treinamento desses homens, Ele colocou tudo neles, para não apenas serem como Ele, mas para continuarem o trabalho para a próxima geração. Jesus queria que eles passassem pelo lugar onde Ele havia começado e cultivassem algo a partir da mensagem que Ele plantou em seus corações. Jesus, como o mestre construtor, estava ensinando, treinando, encorajando, estimulando, impulsionando e desafiando um grupo de homens a tomar o que Ele lhes havia dado e crescer além dele. Ele ainda está fazendo o mesmo hoje, Seu plano nunca mudou. 

Este ainda é o padrão do Mestre. Ele quer cultivar todos os “Seus seguidores”, “Seus discípulos”, de novos fiéis para Construtores do Reino maduros para a glória de Seu Pai.   Até hoje ainda é a melhor maneira de transformar homens e mulheres em cristãos e colhedores incríveis. Como seguidores, nunca devemos aceitar apenas sentar no banco da igreja uma vez por semana, frequentando o templo. Em vez disso, fomos criados por Deus para estarmos no mundo, seja em nossos empregos ou em nossos bairros, reunindo e discipulando homens e mulheres para que Cristo fizesse parte do imenso negócio chamado O Reino de Deus. 

João 1:50

 Jesus disse: “Você crê porque eu disse que o vi debaixo da figueira. Você verá coisas maiores do que essa!”  

João 14:12

 Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque eu estou indo para o Pai.

João 17:18-19

 Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.

> Todo cristão é chamado para ser seu discípulo. Ensinado e treinado por Jesus para ir ao mundo.<